Buscar
  • José Tavares

O desconfinamento

Amanhã pelas zero horas iremos passar do estado de contingência para o estado de calamidade e ver repostos alguns direitos constitucionais que tinham sido suspensos. É bom, sentimo-nos melhor e mais autónomos. Julgo que se foi um pouco longe demais em relação aos mais velhos e espero que no futuro haja um pouco mais cuidado porque até prova em contrário os mais velhos terão de ser considerados inteiramente autónomos e responsáveis face aos direitos constitucionais que lhes

assistem. O modo de passar de um estado de contingência a um estado de calamidade mantendo tudo como estava, aos meus olhos, também não colhe. São efetivamente situações diferentes e é preciso que seja consideradas como diferentes. O que não pode ser dispensado é que as pessoas tenham bom senso e sejam ainda mais autónomas e responsáveis. Não é uma questão de proibições e penalização mas de formação e educação cívica.

0 visualização