• José Tavares

O ataque ao poder no ainda "coração do poder"

Atualizado: há 4 dias


A estratégia geopolítica mundial parece indicar que, na atual situação, Joe Beiden, o Partido Democrático e os grandes meios da comunicação social americana são "marionetes" de um ataque ao poder dos Estados Unidos como ainda o "coração do poder".

O planeta, sobretudo, a oriente está superpovoado. O continente americano e, designadamente, o Brasil, os Estados Unidos e o Canadá ainda é uma das zonas do mundo mais extensas e mais ricas com possível capacidade de expansão e acolhimento de mais gente. A China há muito que envia as suas gentes pelos 5 continentes. A Índia e outros grandes espaços asiáticos estão também com um enorme excesso populacional em relação aos seus territórios ainda que seus mares continuem abertos e, de certa forma, disponíveis. Por outro lado, começa a perceber-se que o futuro da Europa já não está na UE tal como existe, nem no eixo atlântico com os Estados Unidos e Canadá, mas num grande espaço que se estende dos Açores, da Madeira e das Canárias até ao mar Báltico e polo ártico. A África continuará a ser um contrapeso em todo este equilíbrio de forças em que uma grande Europa, incluindo a Rússia, aposta. Será que Donald Trump seria, porventura, um último baluarte de um Panamericanismo que está a desfazer-se. Os próximos tempos irão mostrar se os ventos vão nesta direção ou não.

3 visualizações0 comentário